Elfos

De RuneScape Wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Arianwyn cabeça.png

Os Elfos são uma das muitas raças que habitam RuneScape. Eles estão entre as raças mais longevas, com tempo de vida médio de vários séculos. Elfos são altos e graciosos e são conhecidos por sua beleza. Em geral, são similares aos humanos, porém têm orelhas alongadas e pontudas e uma beleza menos robusta e mais natural.

Os Elfos raramente fazem uso de magia ou tecnologia humanas, envés disso eles optam pela tecnologia dos cristais, que por sua vez lhes foi ensinada por Seren, a divindade adorada pelos elfos.

Elfos podem ser roubados no nível 85 de roubo, o que dá 353 pontos de experiência.

Um elfo comum tem muito mais agilidade e destreza que um humano comum, mas podem ser vencidos por humanos mais bem treinados. Outra grande vantagem dos Elfos é que eles tem uma longevidade muito maior, o que lhes dá mais conhecimento, sabedoria e experiência.

Os Elfos são exímios arqueiros e guerreiros, sendo oponentes temíveis quando armados com seus arcos elanças de cristal .

Um guerreiro elfo

História[editar | editar código-fonte]

Princípio[editar | editar código-fonte]

Elfo fêmea.png

Os elfos têm habitado Guilenor desde a Primeira Era, durante a formação do mundo por Guthix. Eles foram guiados até esta dimensão por Seren originalmente de outro mundo através do Portal do Mundo, antes mesmo da chegada dos humanos.

Chegando aqui, eles foram orientados por Seren na construção de sua cidade capital: Prifddinas. Prifddinas é uma das maiores maravilhas arquitetônicas em Guilenor e a cidade mais antiga em existência atualmente, tendo sido construída no princípio da Primeira Era. A cidade inteira foi construída de cristal; cristal este, dizem, que foi retirado da própria deusa Seren para a construção das muralhas de Prifddinas.

Os elfos se dividiam em oito clãs, logo, Seren ordenou que a cidade fosse feita na forma de um octágono de maneira que cada clã ficasse responsável por uma seção da muralha e todos ficassem igualmente responsáveis pela defesa da cidade. No coração da cidade, no local de igual acesso a todos os clãs, Seren colocou a Torre das Vozes. Através dela, os elfos poderiam se comunicar diretamente com sua divindade.

As Guerras dos Deuses[editar | editar código-fonte]

Durante a Primeira e Segunda Era, os elfos conviviam pacificamente com as outras raças na atual região de Kandarin. Ali, eles realizavam intensa atividade comercial e intercâmbio de cultura com os outros povos.

Quando as Guerras dos Deuses explodiram, os elfos foram forçados a fugir da região central de Guilenor de volta para a região de Isafdar, tendo a cadeia montanhosa de Arandar como sua linha de defesa natural.

No término das Guerras, Seren teve que abandonar Guilenor por razões desconhecidas, deixando os elfos à própria sorte. Antes de sair, porém, Seren selou o acesso à Grande Biblioteca para proteger seu conteúdo através de selos mágicos.

Quarta Era e atualidade[editar | editar código-fonte]

Na Quarta Era, os elfos foram além das montanhas de Arandar, colonizaram e dominaram a região hoje conhecida como Kandarin, formando um grande reino; nesse período, eles tinham grande influência sobre outros povos, com quem praticavam comércio e conviviam pacificamente.

Entretanto, o império, governado pelo rei elfo Baxtorian e sua rainha Glarial, entrou em colapso quando o Clã Iorwerth conquistou a capital Prifddinas, traindo todos os outros clãs. Depois do fracasso que foi sua campanha militar para tomar de volta a capital e que durou cinco anos, o império caiu e os seguidores de Baxtorian recuaram para o exílio nas florestas de Isafdar. Os elfos estão em guerra civil até hoje.

Assentamentos[editar | editar código-fonte]

Portões de Prifddinas

O principal assentamento dos elfos é sua capital, Prifddinas, uma grandiosa cidade que data de milhares de anos atrás e é feita inteiramente de cristal. Embora nenhum humano tenha ido além de suas muralhas, há rumores de sua beleza e da genialidade de sua arquitetura. Porém, na missão MissõesLuz interior é revelado que a cidade foi revertida de volta para a forma de semente pelo clã Iorwerth por motivos desconhecidos.

Outras áreas habitadas pelos elfos são as florestas de Isafdar e a região de Arandar. Dentro de Isafdar, os elfos rebeldes estão sempre se mudando para despistar os soldados do clã Iorwerth; seu paradeiro atual é a vila de Lletya.

Religião[editar | editar código-fonte]

Seren símbolo.png

Os elfos adoram uma divindade chamada Seren, que representa o aspecto divino e espiritual do mundo - o Anima Mundi - e os cristais. Foi Seren quem trouxe os elfos até Guilenor e os orientou na construção de Prifddinas.

Em algum ponto da Quarta Era, os elfos se dividiram em dois grupos. Todos os clãs com exceção do clã Iorwerth e seus aliados continuaram seguindo Seren, enquanto os Iorwerth passaram a querer evocar um "Lorde Sombrio", que alguns acreditam se tratar de Zamorak embora ele também possa ser alguma outra entidade desconhecida. Assim começou a guerra civil. Batalhas frequentemente ocorrem dentro das florestas de Isafdar enquanto os rebeldes, seguidores de Seren, lutam para reconquistar suas terras perdidas. Esta raça, antes poderosa, encontra-se atualmente em processo de auto-destruição.

Elfos notáveis[editar | editar código-fonte]

  • Baxtorian - Rei do império élfico em Kandarin durante a Quarta Era.
  • Glarial - Esposa de Baxtorian, rainha dos elfos, faleceu na Quarta Era e foi enterrada numa bela cripta próxima das quedas d'água que levam o nome de seu marido.
  • Ilfeen - Uma encantadora de cristais.
  • Eluned - Outra encantadora de cristais. Tem papel importante em algumas missões.
  • Islwyn - Vende arcos e escudos de cristal e é também neto de Glarial.
  • Lorde Iorwerth - Líder do Clã Iorwerth que traiu os demais clãs tomando a capital de Prifddinas. Tem interesses em evocar um desconhecido "Lorde Sombio".
  • Arianwyn - Líder dos rebeldes.