Transcrição:As Eras de Reldo, 17ª Edição

De RuneScape Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Prefácio

Esta é a 17ª edição de As Eras de Reldo. Reldo é um acadêmico versado, e seu trabalho nesta área ajudou a lançar a pura luz da objetividade na história dos reinos. Esta nova edição foi atualizada com informações recém-descobertas na expedição de Varrock a Anacrônia, da qual graciosamente me permitiram participar.

- Charos, Encantador e Cavalheiro, 189 V

As Eras

Guilenor é um mundo com uma longa e detalhada história. Ao longo de milhares de anos, existiram muitas civilizações com muitos calendários diferentes, e nós não tínhamos uma forma organizada e consistente de expressar as datas. Este volume propõe um sistema que chamo de "As Eras", que organiza a história em períodos coerentes e os data de acordo com os sistemas de calendário mais dominantes do período.

Descobertas arqueológicas recentes, principalmente na ilha de Anacrônia, revelaram milênios de história que não havia sido contada, antes do período que erroneamente chamávamos de "Primeira Era". Como o sistema numérico de eras agora é adotado por estudiosos humanos e inumanos ao redor do mundo, tenho relutância em mudá-lo. Vou, portanto, me referir a esses primeiros períodos como "Épocas". A história consiste em oito períodos distintos - três épocas e cinco eras.

Cada período tem uma data de referência, que é o momento que marca o início daquele período. Onde possível, marquei a data de referência usando o calendário dominante do período. Por exemplo, a Segunda Era era dominada pelo Império Zarosiano, cujo ano 0 corresponde à chegada de Zaros em Guilenor. As datas da Segunda Era são, portanto, relativas a essa data - o ano 20 da Segunda Era é também o ano 20 do calendário zarosiano, 20 anos após a sua chegada. Em casos em que a data de referência do calendário não seja precisa (o que muitas vezes é o caso), eu ainda sim continuei usando a datação do calendário para facilitar a compreensão de documentos antiquados.

Usando o Calendário

As datas devem ser escritas com respeito a uma era específica - se nenhuma era for especificada, deve-se presumir que se está falando da Quinta Era. Para especificar uma era por extenso, podemos simplesmente escrever "800, Segunda Era" ou "800 da Segunda Era". Abreviadamente, deve-se acrescentar o numeral antigo apropriado: portanto,"800, Segunda Era" pode ser escrito como "800 II". É possível expressar a mesma data com referência a qualquer era. Por exemplo, 2 V é o mesmo ano que 2084 IV.

Deve-se tomar cuidado ao se examinar documentos históricos para entender o calendário do autor. Por exemplo, escritos guthixianos são tipicamente datados como sendo do início da Quarta Era, mas eles não usam minha nomenclatura, pois ela não existia na época. Portanto, uma data guthixiana de 1300 deve ser interpretada como 1300 IV.

A Época das Deusas Anciãs (Período Primordial)

Calendário: TokHaar?
Duração: desconhecida
Data de referência em V: desconhecida

A história de Guilenor começa com sua criação pelas Deusas Anciãs. Pouco se sabe sobre este período, e a maior parte do que se sabe vem das lendas dos elfos e dos guthixianos. Sabemos que as deusas anciãs criaram o planeta, botaram seus ovos nele descartaram seus artefatos pela superfície e foram dormir. Não sabemos exatamente há quanto tempo isso aconteceu, nem quanto tempo levou esse processo.

Depois que as deusas anciãs adormeceram, a vida vegetal e animal floresceu no planeta, mas não havia criaturas conscientes ou sapientes. De acordo com a deusa Seren, as plantas e os animais geram éter, que contribui para o campo rúnico, o campo de energia de anima ao redor do mundo que supostamente serve para nutrir os ovos das deusas anciãs.

Os lendários TokHaar (uma criação das deusas anciãs) podem ter um calendário que remete a esse período, mas não fui capaz de entrar em contato com eles pacificamente para obter informações.

A Época dos Dragonkin (Período Orthênico)

Calendário: dragonkin
Duração: aprox. 500 anos
Data de referência em V: aprox. -60.000

A certa altura, muito depois da criação de Guilenor, mas muito antes da Primeira Era, os dragonkin saíram da hibernação no abismo e foram para Guilenor. Essa espécie reptiliana havia sobrevivido à destruição do seu universo e à criação do nosso se escondendo e, agora, procurava o planeta mais habitável, que acabou sendo Guilenor. Eles fundaram uma cidade, que sabemos que se chamava Orthen, e inadvertidamente despertaram a deusa anciã Jas. Jas escravizou os dragonkin e destruiu suas cidades, efetivamente apagando a civilização dragonkin. A maioria dos dragonkin deixou Anacrônia e parece ter hibernado novamente.

Sabemos que o calendário dragonkin contava as datas a partir da construção de Orthen. Com base nas observações astronômicas recuperadas das suas ruínas, acredito que isso tenha acontecido aproximadamente 60.000 anos antes do presente, mas depois de terem sido escravizados, os dragonkin pararam de fazer registros precisos de datas por longos períodos, então talvez seja impossível verificá-las.

A Época dos Colossos (Período Colossal)

Calendário: nenhum
Duração: aprox. 48.000 anos
Data de referência em V: aprox. -60.000

Depois que os dragonkin desapareceram da superfície, milhares de anos se passaram. Sabemos pouco sobre esse período, mas deduzi que poderosas perturbações no campo rúnico chamadas "nexos" fizeram com que alguns animais fossem elevados espontaneamente a seres semelhantes a deuses. Essas criaturas sem inteligência vagaram pela paisagem do mundo por milhares de anos, lutando umas contras as outras pelo domínio.

Atualmente não temos evidências de civilizações ativas durante esse período. Porém, não acredito que, no meio tempo entre os dragonkin e Guthix, ninguém tenha conseguido descobrir este tesouro de planeta em um universo cheio de vida e, aparentemente, com transporte intraplanar. Suspeito que haja evidências dessas descobertas por aí, prontas para serem reveladas.

Primeira Era (Período Mítico)

Calendário: guthixiano antigo
Duração: 3.427 anos
Data de referência em V: - 11.856

A Primeira Era é o início da história formalmente documentada. Ela começou com a chegada de Guthix, um ser lendário e o primeiro dos deuses jovens a pisar neste jardim de mundo. Guthix trouxe povos de muitos outros mundos para viver com ele, em uma tentativa de criar uma sociedade utópica livre de necessidades ou tirania. A certa altura, Guthix se cansou da vida e entrou em um sono profundo, deixando seu povo no paraíso que ele havia criado para eles.

Isso não seria duradouro, pois logo mais deuses chegaram. Além disso, alguns dos colossos, ainda vivos, haviam desenvolvido inteligência e ganharam seguidores da mesma forma que os deuses. Os guthixianos, sempre propensos a endeusar os outros apesar dos seus ensinamentos, fizeram isso com avidez. Logo o mundo se viu ocupado por deuses-reis adversários, que lutavam por territórios e tomavam os seguidores uns dos outros para escravizar e sacrificar.

O calendário desse período é o calendário guthixiano original usado pela civilização que ele fundou. A aparente data de início é o dia que Guthix chegou ao planeta, mas isso na verdade ocorreu 17 anos antes. Nenhum membro dessa civilização ainda está vivo, e esse calendário caiu em desuso. No entanto, eu preservei a data de início deles para este período.

Segunda Era (Período Antigo)

Calendário: zarosiano
Duração: 1.780 anos
Data de referência em V: - 8.429

A Primeira Era terminou sem nenhum evento cataclísmico. Levaria décadas ou séculos até que o impacto deste acontecimento fosse realmente sentido - o deus Zaros chegou, matando o colosso Loarnab e armando o palco para o seu próprio império, o maior que jamais ocuparia o mundo. Zaros fez a expansão de forma gradual e cuidadosa, absorvendo, convertendo ou matando as forças vizinhas. Zaros trouxe com ele muitas criaturas dos chamados "planos inferiores": demônios, vampiros e coisas piores.

A partir de sua origem na vila de Senntisten, o império se expandiu continuamente até ocupar sete décimos do continente, obstruído apenas pelos elfos a oeste e os menaphitas ao sul. Outra raça, os Mahjarrat, foram trazidos para Guilenor pelos menaphitas, mas em vez disso se juntaram à causa zarosiana. No fim das contas, nada podia ameaçar o império, exceto por ele próprio.

O calendário desse período é o do império zarosiano. Durante a Segunda Era, o ano zero mudou várias vezes à medida que a Igreja tentava estimar melhor o dia exato em que Zaros invadiu Senntisten. Creio que a data final seja a correta. Os poucos zarosianos sobreviventes que encontrei não usam mais esse calendário, pois acharam mais conveniente adotar o calendário local dominante.

Terceira Era (Período de Guerra)

Calendário: zamorakiano
Duração: 4.508 anos
Data de referência em V: - 6.649

A Terceira Era começou com a morte de Zaros nas mãos do seu próprio general, o Mahjarrat Zamorak. Logo depois, Zamorak invadiu com um enorme exército de demônios. Isso inicialmente causou uma guerra civil no império zarosiano, com a facção antisseparatista sendo liderada por Azzanadra, o sumo sacerdote de Zaros. Com o tempo, a guerra civil enfraqueceu o império o bastante para os deuses vizinhos, como Saradomin, Armadyl e Bandos, se aproveitarem da anarquia para reconquistar territórios.

Esse foi um período terrível de guerra e sofrimento. Embora a Segunda Era tenha tido conflitos, de forma geral, a expansão do império foi tão unilateral que não houve muitas oportunidades para a deflagração de guerras. Na Terceira Era, as forças eram muito mais equilibradas, e as guerras podiam ser travadas por décadas e até séculos, acumulando um número de mortes inimaginável. Todas as culturas passaram por drásticas transformações, mas perto do fim do período, Saradomin estava em ascensão. Zamorak havia sido repelido de volta para a província de Forinthry, e lá ele usou um artefato conhecido como a Pedra de Jas para destruir seus inimigos, extinguindo a maioria dos seres vivos da província.

Esse acontecimento apocalíptico despertou Guthix dos seus oito mil anos de sono. Ele observou a carnificina absoluta à qual Guilenor e seu povo havia sido sujeitado e ficou aterrorizado. Ele fez uma grande magia, o Édito - provavelmente o feitiço mais poderoso já lançado -, para expulsar todos os deuses do planeta e impedi-los de voltar. Feito isso, ele adormeceu novamente, sem nenhum desejo de ocupar o vácuo de poder que se instalou.

Uma curiosidade da Terceira Era é que sabemos muita coisa com base em textos históricos, evidências arqueológicas e até testemunhos oculares de alguns seres extraordinariamente velhos sobre os acontecimentos relacionados ao início e ao fim do período. O que não temos é praticamente nenhuma informação sobre os acontecimentos no meio - quatro mil anos é muito tempo, e muitos impérios hoje desconhecidos podem ter se erguido e caído ao longo de sua duração. Os deuses saberiam, mas não falam sobre o assunto.

O calendário deste período é o calendário zamorakiano. Porém, na verdade, há duas datas contestadas para a data de referência do calendário, e os zamorakianos estão divididos meio a meio sobre qual usar. O primeiro sistema é baseado no dia em que Zamorak matou Zaros e ascendeu à condição de deus, enquanto o segundo é baseado no dia em que ele voltou a Guilenor dezessete anos mais tarde com um exército de demônios e começou a Guerra dos Deuses. Escolhi o primeiro desses dois sistemas para definir a data de referência para ancorar a Terceira Era. Os Mahjarrat zamorakianos que ainda estão vivos ainda usam este calendário (com a data de referência de sua preferência), e acredito que o primeiro sistema é o calendário dominante nos planos infernais de onde os demônios emergem. O seres humanos modernos seguidores de Zamorak tendem a não usar este calendário. Em vez disso, usam o calendário local.

Quarta Era (Período Barbárico)

Calendário: guthixiano moderno
Duração: 1.952 anos
Data de referência em V: - 2.141

A quarta era começa com a ausência dos deuses. Lá pelo fim da Terceira Era, uma cultura predominantemente saradominista dominava o continente, mas a intervenção de Guthix fez muitos virarem seus seguidores. Com o início da Quarta Era, porém, a ausência de liderança dos dois deuses deixou os seres humanos em estado de caos. Raças bandosianas como orcs e duendes, também sem líderes, assolaram o mundo, botando fogo em cidades que antes compartilhavam com seus aliados humanos. Os seres humanos foram forçados a levar uma vida nômade e tribal.

Ao longo da Quarta Era, esses grupos humanos sobreviveram e contra-atacaram os bandosianos. Os humanos descobriram um antigo segredo guthixiano - a utilização de pedras rúnicas para lançar magia. Com essa nova tecnologia, os bandosianos foram dispersados e vencidos, e os humanos triunfaram. Embora os deuses tivessem há muito tempo partido, suas religiões persistiram, e a partir da mistura de diferentes culturas foram os seguidores de Saradomin que mais uma vez se tornaram maioria.

O calendário desse período é o calendário guthixiano atual, da forma que ainda é usado hoje pelos druidas, Guardiões e seus seguidores. Eles marcam o calendário com A.G.D., que significa "Antes de Guthix Dormir". Apesar do despertar de Guthix quando Forinthry foi destruída ter sido uma data importante, a data de referência desse calendário é na verdade o dia em que Guthix voltou a dormir.

Quinta Era (Período Real)

Calendário: asgarniano
Duração: 189 anos (em andamento)
Data de referência em V: 0

Com o domínio da humanidade, a Quinta Era foi marcada pela fundação de dois reinos - Asgarnia e Kandarin. Não mais bárbaros nômades, os humanos se assentaram e começaram a reestabelecer sua cultura e uma sociedade estável. Mais ou menos ao mesmo tempo, magos humanos descobriram uma forma de manufaturar suas runas, garantindo a continuidade da supremacia humana. Uma cultura de guthixianos fanáticos contestou isso sob a alegação de que era heresia e invadiu, mas não causou nenhum dano real, enquanto um culto sobrevivente de zamorakianos destruiu um enclave prominente dos magos, colocando um ponto final na criação de novas pedras rúnicas.

O calendário deste período é o calendário asgarniano, que também é usado por Kandarin e Misthalin. A data de referência deste calendário é a suposta data de fundação da cidade de Faladore, mas a data é imprecisa e, na verdade, inventada. O início da história de Asgarnia é dominada por duas ordens de cavaleiros - os brancos e os negros. Os cavaleiros brancos rapidamente estabeleceram influência política no novo reino e, entre outras coisas, definiram a data formal da fundação da cidade como sendo oito anos antes do que na verdade aconteceu. A data "oficial" de fundação foi, portanto, quatro anos antes, em vez de quatro anos depois, da criação dos cavaleiros negros. É portanto verdade afirmar que Asgarnia foi fundada em 8 V, mas também que a data de referência de 0 V se refere à fundação de Asgarnia.

Sexta Era

Estudiosos particularmente observadores podem ter notado a ausência de referências neste documento à suposta "Sexta Era". Isso se refere a um evento singular na história do nosso mundo - a morte de Guthix, cujas ações foram centrais a tantos outros períodos. Na minha opinião, esse acontecimento é facilmente tão significativo quanto as datas de referência da Primeira à Quarta Era, e um pequeno número de devotos do Mahjarrat Sliske, que mantêm uma espécie de religião centrada em seu mestre ausente, criou seu próprio calendário para marcar seus poucos escritos. Porém, não há ampla aceitação desse novo método de datação.

Daqui a dois mil anos ou mais, quando um sujeito bem-apessoado estiver compilando este material com a vantagem de ter uma visão histórica, tenho certeza de que a morte de Guthix, que trouxe o retorno dos deuses a Guilenor, se agigantará perante os acontecimentos comparativamente menores que marcam a atual Quinta Era. Por agora, porém, não posso em boa consciência chamá-la de "Era", ainda mais quando o período anterior teve apenas 182 anos de duração.