Transcrição de Notas do explorador

De RuneScape Wiki
Ir para: navegação, pesquisa

Há muitas histórias entre os anões sobre as montanhas além de Trollópolis, todas as quais falam de grandes segredos e fortuna jazendo enterrados por uma eternidade. Agora, nunca fui capaz de resistir à sedução do desconhecido, eis a razão de eu ter explorado Guilenor de cabo a rabo, assim boatos de que um templo antigo foi descoberto ao norte do Planalto da Morte me fizeram pular para ir lá e ver por mim mesmo. A jornada para dentro das montanhas foi calma, a não ser pela quantidade de tempo gasta para achar uma rota razoável entre as montanhas. Minha primeira tentativa me levou para oeste da Trilha Gelada, viajando através do portão de gelo, mas fui impedido por um grande banco de gelo, pelo qual eu não consegui achar um caminho através. Eu não tinha o desejo de passar por quaisquer trolls importunos, então uma vez mais peguei o caminho mais longo. Dessa vez viajei profundamente para dentro daquela paisagem ressecada que é chamada de Terra Selvagem, só para ser frustrado por um despenhadeiro íngreme. Em um ponto achei uma redução na face da rocha, mas minhas tentativas foram fúteis e fui forçado a escorregar rochedo abaixo por um método diferente. Minha terceira tentativa foi do sul. Esquivei-me para passar os trolls sob o manto da escuridão e eventualmente encontrei um pequeno vale que estava bloqueado por rochas caídas. Felizmente, meu pequeno tamanho me permitiu me espremer por entre as rochas nos escombros da avalanche e me encontrei acossado por lobos famintos. Fugi deles e encontrei sinais de uma batalha antiga, a maior parte escondida pela neve. As ruínas pareciam indicar que um grande templo ou palácio esteve ali uma vez, mas o tempo e acontecimentos tinham cobrado seu preço e nada havia além de entulho sobrando. Explorando a área encontrei um fosso imenso onde o chão tinha cedido, então amarrei minha corda e desci mão a mão, para dentro das entranhas do inferno. Abaixo das ruínas havia uma caverna enorme, indo até onde a vista alcançava e cheia de todas as maneiras de demônios, duendes e estranhos homens pássaros, todos travando combate mortal. Enquanto eu observava, um pequeno batalhão de diabinhos cercou e matou um demônio, mas foram então eles mesmos dominados por um bando de cães infernais! Sou um explorador, não guerreiro, então parti do mesmo modo que tinha vindo, levando minha corda comigo de modo que nenhuma daquelas monstruosidades pudesse escapar de sua prisão. Se HOUVESSE tesouro ou ouro para ser encontrado naquelas ruínas o risco não valeria a recompensa, embora alguns possam discordar de mim. Um outro incidente merece ser mencionado; enquanto eu deixava os picos da montanha tropecei com um pequeno grupo de trolls mortos-vivos, marchando para o norte. Tudo o que posso dizer é que os trolls são ainda mais estúpidos mortos do que quando estão vivos, pois não me viram de maneira alguma - embora eu estivesse escondido atrás de um entulho, apenas a centímetros de onde eles marchavam. Sinto que minha próxima jornada vá me levar em uma direção completamente diferente. Ouvi dizer que os pântanos venenosos, ao longe no sudeste, podem ser atravessados, o que não posso evitar de explorar. Mesmo agora posso sentir uma pontade de desejo de viajar.