Zemouregal

De RuneScape Wiki
Ir para: navegação, pesquisa
Carregando...
RejuvenescidoEsquelético
Zemouregal esqueletico cabeça.png
ZemouregalMembros
Zemouregal esqueletico.png
não sei, sinta-se livre pra adicionar o examinar dele.
Inglês Zemouregal
Lançamento 29 de setembro de 2008
Raça Mahjarrat
Gênero Masculino
Vende Não
De Missão
Localização

Zemouregal é um Mahjarrat necromancer Zamorakiano, primo de Lucien e um dos que se aliou a Zamorak em sua guerra contra Zaros e ascenção à divindade. Ele tem bastante envolvimento na história da cidade de Varrock, sendo o antagonista da missão A Maldição de Arrav ícone.png A Maldição de Arrav, na qual ele tentou arruinar a cidade.

Sua aparência é de uma figura esqueletal (até mesmo para o padrão Mahjarrat) vestida sob um manto preto e armadura decorada com esqueletos.

Personalidade[editar | editar código-fonte]

Zemouregal é extremamente presunçoso e arrogante, e idealiza a sua figura, assim como a de a outros poderosos Mahjarrats, como Khazard, Lucien e Hazeel. Ele é extremamente manipulador, como demonstrado em sua estratégia para não ser sacrificado no décimo sexto Ritual.

Na Quarta Era, em algum momento entre o décimo quarto e décimo quinto Ritual Mahjarrat, Zemouregal começou a escrever anotações, registrando as alianças dos outros Mahjarrats, seus paradeiros e sua opinião sobre eles.

Em um de seus registros, ele menciona Enakhra, quem ele considerava ser a última Mahjarrat fêmea viva em Guilenor, e ele havia a convidado para "reproduzir", todavia ela rejeitou o convite. Zemouregal acaba se provando errado, uma vez que Trindine, outra Mahjarrat fêmea, foi descoberta viva em Kharid-et, embora todos acreditassem que ela estivesse morta.

História[editar | editar código-fonte]

Chegada a Guilenor[editar | editar código-fonte]

Zemouregal foi filho de um Mahjarrat macho que possuía o mesmo nome que o seu com uma Mahjarrat fêmea desconhecida. Seu pai morreu em Freneskae, como demonstra seu Memorial.

Zemouregal, como todos os Mahjarrats, veio do mundo de Freneskae, onde o caos e a guerra estão sempre presentes, e eles estavam sob constante ameaça da deusa anciã Mah, criadora de sua espécie. Para evitar que ela causasse devastação total e mantê-la sob controle, praticavam Rituais do Rejuvenescimento e reprodução, embora pelo menos um dos Mahjarrats considerasse-os tática supersticiosa de controle político e duvidasse da existência de Mah. Devido aos conflitos constantes com as outras tribos, como a dos Mahserrat, além dos frequentes sacrifícios nos Rituais, a tribo dos Mahjarrat nunca passou de poucas centenas de membros e era controlada na base do poder.

Na Segunda Era, Icthlarin, o deus Menaphita dos mortos, junto de sua irmã Amascut, a deusa da destruição, viajaram para Freneskae na tentativa de recrutar os Mahjarrat para derrotar as forças de Zaros, que havia invadido suas terras, na guerra do império Kharidiano contra as forças Zarosianas. Alguns se opuseram a proposta, enquanto outros aceitaram, gerando uma batalha entre eles, tendo posteriormente os Mahjarrat à favor da ida a Guilenor vencido. Após a morte de Salisard e sacrifício de Abrogal, os Mahjarrat seguiram para Guilenor, junto dos dois deuses do Panteão Menaphita. Zemouregal então auxiliou, com sucesso, o exército Menaphita na guerra contra os Zarosianos.

Servindo a Zaros[editar | editar código-fonte]

Todavia, depois de algum tempo servindo Ichtlarin, quando os Menaphitas estavam se aproximando da vitória, Sliske, após brigar com ele, se aproximou de Duke Ceres, um demônio Chthoniano Zarosiano e articulou uma traição para que os Mahjarrat se unissem a Zaros, convencendo-os de que seus poderes estavam sendo desperdiçados. Zemouregal e o resto dos Mahjarrats aceitaram a proposta e se tornaram uma peça de muito valor no exército Zarosiano. Quando Tumeken, pai de Amascut e Icthlarin, descobriu a respeito da traição, ele canalizou energia para gerar uma enorme explosão, sacrificando a si mesmo, que erradicaria as forças Zarosianas. Dos mais de 500 Mahjarrat presentes, menos de 50 sobreviveram à explosão, e graças a Azzanadra, que rapidamente criou uma barreira mágica que protegeu os poucos Mahjarrat presentes, incluindo Zemouregal, que alguns anos depois recebeu o título de Legatus, dado por Zaros aos seus mais capacitados aliados.

Durante essa guerra, Zemouregal esteve desenvolvendo uma estrutura feita de corpos que também era capaz de espalhar doenças. Ele visitou Cres, antigo supervisor dos autômatos, e usou seus metais para construir sua abominação, o que enfureceu Cres. Zemouregal então riu das tentativas falhas dele de impedi-lo, e se preparava para matá-lo, quando foi parado pela Morte, que então, liberou as almas presas na construção de Zemouregal.

Traição de Zamorak[editar | editar código-fonte]

Zemouregal auxiliou o então Mahjarrat Zamorak em sua traição a Zaros, afastando os guardas Zarosianos enquanto Zamorak duelava com a divindade. Após a batalha, Zamorak saiu vitorioso, tendo acidentalmente absorvido a maior parte do poder de Zaros, forçando-o a abandonar seu corpo para evitar morrer. O espírito de Zaros amaldiçoou aqueles que participaram da rebelião, e, embora Zemouregal tenha sido atingido, ele não foi afetado devido a mágica que corre em suas veias. A traição foi um sucesso e Zamorak se tornou um deus, embora ele tenha sido imediatamente banido pelos outros deuses devido ao desequilíbrio de poder causado por ele. Durante esse tempo, Zemouregal e seus outros aliados não participaram de muitos conflitos.

Varrock e Arrav[editar | editar código-fonte]

Décimo Sexto Ritual do Rejuvenescimento[editar | editar código-fonte]

Pouco antes do décimo sexto ritual, um fraco Mahjarrat Zamorakiano chamado Lamistard tentou evitá-lo, uma vez que sua participação muito provavelmente significaria sua morte. Lamistard tentou ficar próximo ao local do ritual com a finalidade de receber os benefícios do rejuvenescimento, mas sem participar da decisão e do provável conflito que ocorreria no local da pedra do ritual. Para isso, ele cavou túneis a leste do topo da Montanha de Trollweiss, planejando ficar exatamente abaixo do lugar onde o ritual ocorreria, e receber os efeitos completos do rejuvenescimento. Porém, para o seu azar, sua caverna resultou no subterrâneo da fortaleza de Zemouregal. Quando o Mahjarrat necromancer descobriu, ele o aprisionou e sugeriu o sacrifício de Lamistard no ritual, a ideia foi rapidamente acolhida pelos outros Mahjarrats, e Lamistard foi sacrificado.

A busca por Bilrach[editar | editar código-fonte]

Essa parte da história de passa durante a missão Nadir

Logo após o sacrifício de Ralvash no décimo sétimo ritual, Lucien perguntou a Zemouregal para voltar ao local do ritual. Tal pedido foi feito por Moia, filha humana de Lucien. Zemouregal demonstrou interesse no que ela havia a falar, embora a considerasse inferior. Ela queria informá-los que alguém (posteriormente revelado que foi Bilrach) havia tentado mover o marcador do ritual, mas Lucien rapidamente descartou a possibilidade.

Ataque final a Varrock[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Missão.png O Defensor de Varrock


Décimo oitavo Ritual do Rejuvenescimento[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Ritual do Mahjarrat ícone.png Ritual do Mahjarrat

Pouco antes do décimo oitavo Ritual do Rejuvenescimento, o jogador se infiltra na base de Zemouregal com a assistência do Mahjarrat Zarosiano Wahisietel, que estava disfarçado de Ali, o Sábio. Dessa vez, eles vão à sala onde o coração de Arrav é mantido e o roubam furtivamente. Eles o mantêm em um jarro preparado e, horas antes do ritual, invadem a fortaleza de Zemouregal enquanto ele preparava seu discurso, destroem o prisma obsidiano que Zemouregal havia criado para fortalecer seu controle sobre Arrav e fogem, dando um fim à maldição de Arrav.

Wahisietel, o aventureiro, sir Tiffy Cashien, Idria e Akrisae foram os primeiros a chegar a pedra do ritual, onde eles encontram Lucien e lutam com ele. Após a chegada de Sliske e outra batalha com Lucien, os outros Mahjarrats aos poucos vão chegando, incluindo Zemouregal, que aparece próximo de Lucien atrás de Akthanakos. Zemouregal sutilmente tenta influenciar seu primo a selecionar um Mahjarrat Zarosiano como sacrifício. Embora ele não se importasse com qual Zarosiano fosse executado, sugeriu Jhallan, uma vez que este era o mais fraco de todos.

Uma briga se inicia após Wahisietel atacar Lucien, demandando que o próprio Lucien seja o sacrifício devido a ameaça que ele representava, e Zemouregal defende seu primo ao invocar Sharathteerk e uma tropa de zumbis enquanto luta com Azzanadra. Após Sliske, com ajuda dos Irmãos das Catacumbas, derrotar os zumbis, Zemouregal evoca Arrav para lutar com as tropas de Sliske. O aventureiro então atrai Arrav para seu coração, que estava escondido próximo ao local do ritual, e o liberta da maldição. Arrav imediatamente ataca Zemouregal com toda sua fúria, quase eliminando o Mahjarrat, que foi incapaz de lidar com investidas de Azzanadra e ataques de Arrav simultaneamente. Zemouregal implora Lucien para ajudá-lo, que o ignora, provocando a ira de Zemouregal, que propõe a todos os Mahjarrats o sacrifício de Lucien.

Quando o momento do ritual chega, a luta é interrompida por Lucien, que, entediado e brandindo o poderoso Cajado de Armadyl, sacrifica Jhallan para rejuvener todos os Mahjarrats presentes, incluindo Zemouregal. Agora mais poderosos, todos os Mahjarrats voltam a atacar Lucien, mas param quando ele traz a poderosa Pedra de Jas. Quando Lucien a toca para canalizar o seu poder, dois Dragonkin imediatamente aparecem para destruí-lo (o falso usuário). Lucien tenta se defender com um primeiro ataque de sucesso, mas é derrotado quando um terceiro Dragonkin, Sakirth, retira o Cajado de Armadyl de sua posse e o apunhala pelas costas, desacoplando o orbe do cajado e causando a morte de Lucien. Ao testemunhar a morte de seu próprio primo traidor, Zemouregal demonstra satisfação, embora esteja apavorado considerando a hipótese dos Dragonkins decidirem atacá-lo também.

Tentativa de trazer Zamorak de volta a Guilenor[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante O Despertar do Mundo ícone.png O Despertar do Mundo

Ascendência de Sliske[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Desaparecido, Morte Presumida ícone.png Desaparecido, Morte Presumida

Tentativa de roubo da Pedra de Jas[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Desonra Entre Ladrões ícone.png Desonra Entre Ladrões

Sacrifício de Mah[editar | editar código-fonte]

Atenção: os eventos a seguir ocorrem durante Filhos de Mah ícone.png Filhos de Mah

Durante a Sexta Era, Zemouregal e os outros Mahjarrats constatam que seus poderes estavam sendo drenados a uma velocidade incrivelmente rápida, fazendo-se necessário um Ritual do Rejuvenescimento muito precoce. Assim como os Mahjarrats, os deuses Zamorak, Zaros e Seren também estavam tendo seus poderes drenados. Zemouregal imediatamente planeja usar Kharshai como sacrifício, devido à sua relativa fraqueza e falta de alinhamento com quaisquer divindade, tornando-o um alvo fácil. Após a chegada de Zaros, Kharshai pede ao Guardião do Mundo (jogador) para extrair as memórias da sala do trono, que os ajudaria a descobrir o que estava acontecendo. Embora Kharshai busque desvendar as razões por trás do problema urgente, Zemouregal fica relativamente irritado com ele devido a impossibilidade de sacrificá-lo e com o Guardião do Mundo por este estar sempre interferindo em seus planos.

Quando o Guardião do Mundo chega a Freneskae, Zemouregal aparece e captura Kharshai, pois não acredita que os Zarosianos realmente têm intenções boas. Ele então provoca o jogador e o desafia a chegar ao local do ritual vivo, teleportando a si e a Kharshai. Devido aos poderes provindos de Guthix, o jogador é capaz de caminhar por Freneskae e chegar ao local do ritual mesmo com as inúmeras ameaças com as quais se depara no caminho. Ao chegar, Zemouregal tenta sacrificar Kharshai novamente para a surpresa de Wahisietel e Hazeel, até que Zaros aparece e o força a parar.

Zemouregal finalmente percebe as intenções de Zaros, que pretende fundir o poder de Mah neles, o que os tornaria ainda mais poderosos e, mais importante, acabaria definitivamente com a drenagem acelerada de seus poderes, uma vez que esta estava sendo provocada pelos pesadelos de Mah. Zemouregal não acreditou em Zaros, mas por não querer perder uma oportunidade de ganhar mais poder, decidiu colaborar, acreditando que sua lógica era perfeita. Ele também descobriu sobre a aura controladora de Zaros, que o fez afirmar que os Mahjarrats Zarosianos eram fracos.

Após o ritual, Seren confronta Zaros e os Mahjarrats acerca da morte de Mah. Zamorak sentiu que Seren era, na verdade, Mah, e a acusou de causá-los imensa dor e sofrimento. Zemouregal fica furioso quando Seren admite sua função em modelar a cultura Mahjarrat, embora ela afirme se sentir culpada.

Após os eventos que transpiraram, um Zemouregal mais poderoso retorna para sua fortaleza, contemplando o que fazer com suas novas capacidades.


Dimensão do Desastre[editar | editar código-fonte]

Aliados e Seguidores[editar | editar código-fonte]

Em Combate[editar | editar código-fonte]

O Despertar do Mundo[editar | editar código-fonte]

Dimensão do Desastre[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]