Senliten

De RuneScape Wiki
Ir para: navegação, pesquisa
SenlitenMembros
Senliten.png
Soberana, mesmo na morte.
Inglês Senliten the Pharaoh Queen
Lançamento 19 de maio de 2009
Raça Morto-vivo
Gênero Feminina
Vende Não
De Missão
Localização Em sua Mastaba em Uzer.
Uzer Mastaba mapa.png
Senliten cabeça.png

Senliten, a Rainha Faraônica, governou as terras ao sul de Al-Kharid, hoje conhecida como o Deserto Kharidiano. Ela é convocada durante a missão Missões Em Busca da Múmia Perdida, onde o jogador tenta reunir as partes de seu corpo e nome que foram separadas durante um ritual de embalsamamento ou movidas durante as invasões em seu Mastaba ordenadas por Ali Morrisane.

Mastaba (Tumba) da Rainha Faraônica.

Seu nome verdadeiro é Senliten. Seu nome é mencionado em uma inscrição em uma porta falsa na tumba. A inscrição lê: A seguidora do Sol, A serva de Icthlarin, seguidora dos grandes, golpeado de horrores. Senliten.

Quando ela tinha entre 3 e 4 anos de idade, ela estava brincando nas florestas de pinheiros no leste de Kharidian, enquanto era vigiada por um servo idoso. Sendo jovem e ágil, ela conseguiu se afastar de seu antigo observador, indo para a selva profunda. Lá ela quase foi atacada por um Chacal, mas foi salva pelos Macacos do Deserto que viviam na selva, que assustou o Chacal. Os macacos a levaram até a borda da floresta até que os homens de seu pai a encontraram. O servo idoso foi então morto por estar acorrentado a uma estaca no meio das terras quentes.

O jogador também conserta ou substitui alguns dos móveis e itens que recebeu em preparação para a vida após a morte, e repara os altares de cada um dos Deuses do Panteão do Deserto.

Quando ela estiver completa, ela vai falar sobre a história da terra que ela governou uma vez. Ela se refere à sua terra como planícies, densamente arborizadas e ricas em caça, sugerindo que o deserto nem sempre era um terreno árido. Ela também menciona Zaros pelo nome, indicando uma origem precoce da Segunda Era, antes que ele ganhasse o controle do Mahjarrat.

Algum tempo depois de sua morte, veio a queda de seu reino. Ela passou muito de seu governo lutando contra seus inimigos do norte, mas sua terra acabaria por cair para a ira dos deuses.

Ela parece ter muito orgulho em ser o primeiro faraó a ser enterrado em um Mastaba. Durante seu governo, ela deu à luz um filho, Osmumten, um único herdeiro que asseguraria a continuação de ambos, seu reino e sua linhagem. Seu diálogo sugere que o jogador ou Leela também são da mesma linhagem.

Ela também dá uma visão mais aprofundada aos Deuses do Deserto. Ela afirma que Amascut e Scabaras nunca foram tão destrutivos quanto agora, e fala sobre uma possível redenção.

Ela também desempenha um papel vital em Missões A Maldição de Arrav ensinando o jogador sobre a preservação de órgãos e partes do corpo, frustrando assim os planos do Zemouregal no Décimo Oitavo Ritual e permitindo que Arrav finalmente descanse em paz.